VAI UMA BREJA AI?

Brasileiro é mesmo gente que gosta de muita leveza, nem dureza e nem moleza…leveza. Maneiro é o fato de que a leveza e moleza andam paralelas tentando dar as mãos, enquanto o brasileiro vive mesmo dando suas braçadas em aguas bem rasas e curtindo um surf nas marolas de um bom copo de cerveja, ao som de vou meter um Marlon Brando na cabeça e sair por ai. E por falar em cabeça, me veio à cabeça que por aqui batemos papo reto, papo de jacaré, papo cabeça e tudo acaba em filosofia. Mora na filosofia? Desce um caldo tia, caldo de feijão, o melhor do boteco, que eu não to nem ai com essa história de secar em quatro semanas, e já nem tenho foco nos tanquinhos, to mais pra uma caixinha de fósforos tirando som na mesa, e cantar meu repertório que dá pra uma noite inteira. A ressaca tia, eu vou curar amanhã lá no pastel da feira, aquele do japonês. Senta aqui, vem jogar conversa fiada fora irmão, sem se aprofundar e nem bancar o pensador, não quero militante político dividindo meus croquetes e tirando onda de intelectual. O lance aqui tem quer leve porque lá fora a ressaca é moral, dos caras que devastaram o larjan nacional. Fala ai que não é bom a leveza, e se fingir de alienado que bóia nas tragédias cotidianas que nos assolam, do que ficar de bunda quadrada na frente de uma full HD, ouvindo as mesmas notícias três a quatro vezes por dia. Ah tia desce mais uma, desce duas, coloca a do irmão na minha conta, e traz dois ovos bem azuis. Irmão isso não é conversa mole não, é que eu não nasci pra perder, e ai perderam por mim, e agora mediante aos fatos e embaraços, o grande lance é esse irmão, manter a cabeça arejada só fazer o bem, bons pensamentos e compartilhar o amor. Esse amor aqui de boteco, onde depois de umas brejas já nem me interesso mais se a vaca vai para o brejo, prefiro junto ao irmão, falar de amenidades, te contar do meu par romântico, das minhas viagens e até te ajudar a escalar a próxima seleção.
Tia olha ai que maneiro o seu boteco só na função social, aflorando a amizade com o irmão que ainda nem sei o nome. Nossa mesa está uma fantástica cornucópia, só de coisas boas, nem lógicas e nem coerentes, em uma grande desordem alternada. Acho que é hora de ir.
A conta tia. Como é mesmo o seu nome?
AF

2 Replies

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *