O GAIATO…

image

Dias atrás em um bordejo pelo templo ( o da beleza, cada um tem o seu), encontrei uma amiga, cinquentona como eu…assim com mais da metade da década cumprida, em breve se fizermos a opção pelos ônibus, não pagaremos os tickets. Ela estava linda em uma saia bem acima dos joelhos e um scarpin de matar de belo, eu de calça jeans skini e botas pretas (dessas acima dos joelhos).
Nos beijamos, e claro não perdemos a oportunidade de nos elogiarmos ao limite. Naquele exato momento pensei, que literalmente exageramos nos elogios, só pra não perder a reciprocidade. Levanta o ego afinal. Depois de alguns minutos em pé, e tentando contar todas as boas novidades (só as boas, porque no templo da beleza, não choramos as pitangas), os saltos começaram a incomodar e decidimos tomar um café.
Entre um job e outro nada é melhor do que parar e fazer terapia gratuita, como a que fazemos, quando encontramos velhos amigos e tornamos qualquer mesa de café ou bar em um divã.
Assunto é o que não falta.
Quem nasceu, quem casou (até ai só alegria), e quem morreu?
Como? Viúva? Minha amiga estava viúva, e bem viúva, porque ficar viúva duas vezes em um único ano, não é pra qualquer um não. É quase como ganhar na loteria, ou sentir a força de dois raios na sua cabeça. Probabilidade mínima.
Filhos criados e com vidas próprias, nos deixava ali bem à vontade. Depois de um certo tempo, ela preocupada comigo perguntou se eu tinha pressa. E eu como adoro uma frase engraçada respondi: não amamento mais! Ela de imediato: “Mey você é muito engraçada.”
Eu:
Engraçado é tartaruga paquerar capacete de soldado!
Papo vai, papo vem, entre uma e outra trançada de pernas da bela sexagenária, eis que passa um gaiato suburbano, mistura de arame farpado e cruz credo, daqueles que gastam sola de sapato, o dia inteiro nos shoppings de luxo, a espera de que alguma dondoca desesperada, necessite dos seus dotes sexuais. Parou, olhou para nós e disse: “ah se eu pudesse e meu dinheiro desse!”
Ficamos cristalizadas, sem reação, porque na verdade de prima, só bateu a vontade de gargalhar muito. Aquele louco, conseguiu um minuto de nossa total atenção, enquanto tentávamos entender o que ele faria se tivesse dinheiro e se pudesse, e a gente quisesse…claro! Surrealismo puro.
Mas escrevo para confessar que eu adorei! Tirando a audácia do suburbano subversivo, vou guardar para usar a tal frase. Tenho um HD na minha cabeça cheinho delas, mas essa foi inusitada!
Bem na verdade eu gostaria de dar um presente lá do shopping, pra cada um de vocês, mas esqueci como se embrulha um beijo, alguma dica?
AF

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *