COMO FAZER CACHAÇA-ALAMBIQUE JANNUZZI

A palavra cachaça causa muita polêmica no tocante ao seu nome, em algumas versões dadas por pesquisadores.
Do castelhano CACHAZA, vinho que era feito de borra de uva;
Da aguardente, que era usada para amaciar a carne de porco (CACHAÇO);
Da grapa azeda, tomada pelos escravos e chamada por eles de cagaça.
A cachaça é nossa, genuinamente nacional. Sua história remonta ao tempo da escravidão quando os escravos trabalhavam na produção do açúcar da cana de açúcar. O método já era conhecido e consistia em se moer a cana, ferver o caldo obtido e, em seguida deixá-lo esfriar em fôrmas, obtendo a rapadura, com a qual adoçavam as bebidas.
Ocorre que, por vezes, o caldo desandava e fermentava, dando origem a um produto que se denominava cagaça e era jogado fora, pois não prestava para adoçar. Alguns escravos tomavam esta beberagem e, com isso, trabalhavam mais entusiasmados.
Os senhores de engenho por vezes estimulavam aos seus escravos, mas a corte portuguesa, vendo nisto uma forma de rebelião, proibia que a referida bebida fosse dada aos negros, temendo uma rebelião.
Com o tempo esta bebida foi aperfeiçoada, passando a ser filtrada e depois destilada, sendo muito apreciada em épocas de frio. O processo de fermentação com fubá de milho remonta aos primórdios do nascimento da cachaça e permanece até hoje com a maior parte dos produtores artesanais.
Existem atualmente pesquisas de fermentação com diversos produtos denominados enzimas que, aos poucos, estão substituindo o processo antigo.
A cachaça sempre viveu na clandestinidade, sendo consumida principalmente por pessoas de baixa renda e, por isto, sua imagem ficou associada a produto de má qualidade. Mas atualmente ela ascendeu a níveis nunca antes sonhados e hoje é uma bebida respeitada e apreciada mundialmente, já tendo conquistado a preferência de pessoas de alta classe pelo mundo afora.
Agora… ela também é chamada de pinga, porque o caldo era apenas consumido pelos escravos, para que ficassem mais dóceis ou para curá-los da depressão causada pela saudade de sua terra (banzo).
Como a carne de porco era dura, usava-se a aguardente para amolecê-la. Daí o nome “Cachaça”, já que os porcos criados soltos eram chamados de “cachaços”.
O apelido “Pinga” veio porque o líquido “pingava” do alambique.
Muito legal, fala aí?
E que tal agora dar um clique aí no vídeo e conhecer um incrível alambique que no ano que vem completa 100 anos na mesma família. É isso aí, já estão na quarta geração!
Super beijo!

* CONTEÚDO EXTRAÍDO EM FONTE DE CONSULTA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *