Decisão ou Escolha

image

Ah! Decisões. Por que é tão difícil tomar decisões?
Por mais que saibamos, ou pensamos saber a direção correta a seguir, ainda existe aquela força contrária, aquele sentimento de medo, aquela incerteza do acordar amanhã sem remorso.
Muitas vezes não estamos equilibrados para o desafio, exatamente no momento em que se apresenta. E então o risco de uma decisão errada só aumenta.
O equilíbrio na hora “H”, faz toda a diferença.
Um dos fatores que faz com que percamos a razão e a cabeça, muitas vezes é o descontrole total sobre as nossas ações e pensamentos. O equilíbrio emocional é sim, extremamente importante para decisões acertadas na nossa vida.
Muitos de nós fazemos nossas escolhas baseados apenas em desejos e sonhos, sem nos importamos com os meios que deveremos e teremos que utilizar, e as decisões dos mesmos, para se atingir nossos objetivos. Esquecemo-nos de que os meios para atingi-los, também sofrem processo decisório. Jamais podemos estar alheios ao fato de que, outras inúmeras decisões são necessárias, para tomarmos uma decisão.
Ao nos apoiarmos de maneira errada, em conceitos de que nossas decisões podem esperar, acabamos postergando resoluções, que deveriam ser feitas naquele espaço e tempo, causando prejuízos e danos muitas vezes irreversíveis.
Mas convenhamos, que nossa vida seria um tédio, se tivéssemos exatamente tudo o que desejássemos. Nem tudo e nem ao mesmo tempo, não…não seria legal.
Para isso é que serve o tempo; para que nossas decisões sejam dosadas, para que vitórias e derrotas, tenham mais valor. Para entendermos que a caminhada é mais gratificante, do que o inicio ou o fim.
O tempo é o limitador de nós mesmos, e por causa disso temos o direito à sua administração, para empreendermos realizações e arquitetarmos nossos momentos.
Será que todos nós já entendemos que, tomamos decisões a cada minuto? Umas mais relevantes é claro. Mas o fato é que, ao levantarmos das nossas camas pelas manhãs, tomaremos decisões, como por exemplo: escolher um novo caminho para o trabalho, trocar ou não a cor dos cabelos, evitar uma briga no transito, entre milhares de outras, ou até mesmo mudanças maiores, que podem mudar o rumo das nossas vidas, como deixar o emprego ou finalizar um relacionamento.
Muitas delas tiveram efeitos sentidos por anos, décadas. Foram medidas que redefiniram os rumos da história, como começar uma grande guerra, ou a decisão de lançar a bomba atômica! Deveras errôneas, essas decisões tomadas por grandes líderes.
Mas vamos voltar para o nosso mundo pessoal, vamos lembrar que a consciência faz parte das características comuns aos humanos, e nos distingue dos outros seres, nos colocando em um status superior. Moralmente a consciência, é uma intuição, capacidade, habilidade ou julgamento intelectual para distinguir o certo e o errado.
Psicologicamente a consciência é um condutor ao sentimento de remorso, quando não agimos dentro dos nossos valores morais. Aquela voz interior!
Percebem a responsabilidade da consciência nas tomadas de decisões? Elas povoarão nossas cabeças com incertezas e dúvidas, causarão impactos violentos, tanto positivos quanto negativos em nossas vidas.
Poderíamos muito bem, viver sem ter que fazer escolhas e nem tomar decisões. Mas se pensarmos bem, essa não seria uma vida já pré estabelecida e traçada?
Somos os proprietários dos nossos desejos, planos e sentimentos, como também das nossas escolhas e decisões. Se precisarmos, mudaremos nossa rota em meio a uma turbulência, voaremos com os mais belos pássaros, e alcançaremos o nosso céu de brigadeiro!
AF

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *