ESTÂNCIA TURÍSTICA DE SÃO ROQUE

São Roque é um dos 29 municípios paulistas considerados estâncias turísticas pelo Estado de São Paulo, por cumprirem determinados pré-requisitos definidos por Lei Estadual.
O turismo “bate volta” é muito importante na cidade. Pessoas de toda a região no raio aproximado de 100 km visitam a cidade semanalmente onde usufruem de belos passeios, restaurantes variados e dos vinhos, licores, destilados, alcachofra e doces produzidos na cidade.
Foi fundada na segunda metade do século XVII pelo bandeirante Pedro Vaz de Barros, mais conhecido como Vaz-Guaçu, a cidade surgiu de uma enorme fazenda e uma capela por ele erigida no local. A capela, então localizada onde hoje é a Praça da Matriz, foi levantada em devoção a São Roque. A fazenda tinha por objeto o cultivo de vinhedos e de trigais, utilizando-se mão-de-obra indígena forcada e mais tarde, de escravizados negros.
A capela original a São Roque, bem como as igrejas barrocas que a sucederam no Largo da Matriz foram derrubadas e sucessivamente “modernizadas”, assim como todo o entorno paisagístico do Largo da Matriz. Ao que consta, até a década de 1940, o Largo da Matriz era formado por um conjunto arquitetônico barroco, tendo a sua volta casarões. A chegada dos Imigrantes Italianos na região foi imprescindível para o seu desenvolvimento.
Em 1890, o industrial italiano Enrico Dell’Acqua funda a BRASITAL, uma das primeiras indústrias têxteis do Brasil, a qual funcionou até meados dos anos 1970. Hoje, faz parte do patrimônio público municipal, abrigando um centro cultural e educativo, bem como a biblioteca municipal.
O município de São Roque localiza-se numa região de morfologia bastante acidentada, atingindo 1200 metros de altitude em alguns locais, e caindo para 600 metros em outros. Pontos destacados de maior altitude podem ser citados, como:
Alto da Serra, Estrada da Aeronáutica: 1.100 metros de altitude;
Morro do Saboó: cerca de 1.000 metros de altitude (visível de áreas de municípios vizinhos);
Morro do Sky Mountain Park: cerca de 1.200 metros de altitude.
São Roque abriga a “Casa e a Capela do Sítio Santo Antonio”, um bem cultural de relevância nacional, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico Nacional IPHAN no ano de 1941. A casa-grande foi edificada no século XVII, no ano de 1681, pelo bandeirante Fernão Paes de Barros. Trata-se de conjunto arquitetônico de natureza singular, formado por uma casa-grande e uma capela feitas em taipas de pilão, sendo a mais antiga da região. Um dos primeiros a reconhecer seu valor arquitetônico e histórico foi o escritor modernista Mário de Andrade- cuja família doou o imóvel ao Patrimônio Histórico Nacional após sua morte, conforme desejo do escritor.
Digna de ser visitada é a reserva ecológica conhecida localmente como “Mata da Câmara”, um parque municipal no qual se pode admirar a vegetação natural da Mata Atlântica, com suas típicas orquídeas, bromélias, etc. A área faz parte do chamado “cinturão verde da Mata Atlântica”, reconhecido como patrimônio natural da humanidade pela UNESCO.
Além disso, São Roque é conhecida como a Terra do Vinho. A cidade possui em seu território diversas vinícolas, que produzem os mais variados tipos de vinho. Anualmente, no mês de outubro, a cidade promove a “Expo São Roque”, exposição que reúne produtores de vinhos, uvas e alcachofras, com o objetivo de vender os seus produtos diretamente para o consumidor final.
E agora cliquem no vídeo para ver imagens bem legais da Estância Turística de São Roque.
Um super beijo.

*conteúdo extraído por pesquisa.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *