Sal para a Vida

image

Li um post de uma sobrinha, que estava mais leve por ter passado pelo mar, suor, choro…
Tudo culpa do Cloreto de sódio, ou de um composto iônico que em água se dissocia num cátion diferente de H+ e um ânion diferente de OH- 1. Que medo!
Ainda tão jovens e tenros, somos apresentados ao sal. É durante algumas cerimônias de batismo, e nas nossas primeiras refeições que ele já está presente.
A natureza nos dá o sal prontinho, o resto é invenção do homem que depois de muito tempo é aconselhado a voltar ao sal marinho (agora me deu saudades do Marinho, parceirão de bate papo na praia em Ipanema), porque é mais sadio.
O uso do sal, data de uns cinco mil anos, e nos mais variados usos, lá na Babilônia, China, Egito e pelos pré Colombianos. Aos mais antigos era um privilégio das populações costeiras, e ainda assim, dependiam das marés, por ausência de tecnologia que só veio na idade média!
Era comercializado a peso de ouro por ser escasso e precioso, e servia até como moeda para pagamento dos soldados. Dai a palavra salário.
Até a pena de morte foi instituída, por causa das guerras pelo domínio da exploração e negociação. Sem falar na pirataria!
Aqui na terrinha, as primeiras salinas foram formadas lá no Ceará e também causaram uma batalha entre um derrotado Capitão português por um pirata francês.
Mas….fora os sais ácidos, o mar se encarrega de nos fornecer essa maravilha que é uma fonte inesgotável de prazer. Agora…o uso é uma loucura. Fora o que todos sabemos, que é aquela pitadinha na comida, ele é usado desde um algo a mais em drinks, banhos especiais pra livramento de energias ruins, escalda pés das bailarinas, com seus dedinhos destruídos depois de grandes espetáculos ( isso eu aprendi com minha filha), um bochecho com agua salgada e lá vai embora a dor de uma afta, se adicionado uma pitada dentro da caixa de leite e sacudido para que se dissolva bem…seu leite não estraga, para manter o aspecto fresco de frutas que escurecem quando cortadas (como macã e pêra) basta mergulhá-lhas em agua um pouco salgada, Então você passou a noite inteira acordado chorando pelo amor perdido – ninguém precisa saber. Elimine a evidência misturando uma pitada de sal em um pouco de água quente e aplicando na área das olheiras e inchaços ao redor dos olhos. O sal irá ajudar a tirar a umidade e esticar a pele. Se você massagear uma mistura de sal e azeite de oliva na sua pele em movimentos circulares, e deixar alguns minutos, basta depois lavar com água. A massagem ajuda a circulação na sua pele, o azeite de oliva umedece e o sal tira as células mortas.
Essas são algumas dicas, porque são milhares as funções do sal, que não só aumentar a pressão!
É canção por Beto Guedes, e poesia por Fernando Pessoa e tantos outros.
Mas o berço do sal! Ah! Que delicia aquele banho de mar, a qualquer dia e qualquer hora. Com sol ou chuva! No Atlântico, Pacífico….Morto e especialmente no Adriático. É foi lá que aprendi a comer o mar. E isso é tão prazeroso que me causa arrepios quando penso em Savelletri di Fasano. Quero viver lá. Uma pequena aldeia de pescadores lá na pontinha da bota Italiana! Seus sorridentes moradores me ensinaram a não lavar o peixe cru, comer de olhos fechados, imaginando o azul e o perfume do mar. É algo que não consigo descrever a emoção! É assim a relação com o sal. Quando somos do mar, não precisamos de tanta bagagem para uma vida feliz, e sim um espírito livre com sede de azul e movimento!
AF

Nossa Bela Amira!

 

image

2 Replies

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *