Velha Calça Jeans

 

image

É bem legal, quando vemos aquela calça jeans que não nos servia mais, repaginada, customizada, cheia de brilho e novas informações em um novo corpo.
É assim…às vezes nos arrastamos em situações que não nos fazem mais felizes, por comodismo e aceitação da própria pena. Liberdade! Essa é a palavra. Devemos nos desprender de tudo que nos causa angústia e insatisfação. Quando percebemos que muitos sintomas esquizofrênicos começam a aparecer, é hora de abrirmos os olhos e seguirmos. Assim não sofremos e nem fazemos sofrer.
Em nenhum lugar e mesmo em nenhum livro sagrado, está escrito que para evoluirmos sob quaisquer aspectos, temos que abrir mão da nossa felicidade. A tão discutida felicidade. E ai meus irmãos…vale tudo! Vale formar outro par, vale ser feiz sózinho…sim sózinho, e porque não?
Eu ao longo desses anos já vi e ouvi de tudo! A amiga que apanhava e amava o seu carrasco, o homem traído que preferia dividir a donzela a estar só, a moça que amava três de uma vez, os moços então….e isso sem falar nos jovens com anciões, altíssimos com quase anões e todas as cores!
Sou de um tempo onde o romantismo imperava, onde ardíamos de desejo por um beijo do que era chamado amor platônico (acho que não existe mais), dos grandes bailes à rigor, onde sentíamos arrepios só de colar o nosso rosto no de um belo rapaz. Que saudade do Zaratruska!
Eu me arrepio, só em pensar que agora é tudo tão rápido, que os sentimentos tem a velocidade da web. Que frases bonitas são feitas e esparramadas, mas não são ditas e nem cumpridas.
Novas regras surgiram e mataram o encantamento, a cultura e as prendas…ah! As prendas, como eram gostosas as aulas da Dona Armanda! Agora, malha minha amiga, malha muito, porque não vão precisar fazer crochê, tricô, cozinhar…é só pintar e bordar!
Mas a felicidade nos ronda o tempo todo, e ela tem as mais variadas formas, chega de mansinho em uma praia no sul da Itália, diz em um abraço que teremos nosso tempo, entra em nossos ouvidos em forma de canção, se esconde em goles de chiants e bordeaux, está em belas lingeries que usamos para nós…
É dificil saber ao certo se estamos ou não felizes, porque são tantas as vezes que mudamos os nosso rumo (chamado destino), e pensamos estarmos felizes, que talvez tenhamos deixado a nossa felicidade no passado ou ainda tenhamos que buscá-la! Felicidade, aqui e agora!
AF

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *