A TORRE DE RÁDIO DE GLIWICE E A SEGUNDA GUERRA MUNDIAL

image

Eu não poderia visitar Gliwice na Polônia e não conhecer a Torre de rádio Gliwice ou Torre de rádio de Gliwice. É uma construção de 118 m com estrutura inteira de madeira. Agora…o mais interessante é que foi exatamente aqui que aconteceu a Operação Himmler, que foi a primeira ação causadora da segunda guerra mundial.
A cidade de Gliwice, atualmente polonesa, já se chamou Gleitwitz e pertencia à Alemanha, ficava a cerca de 4 quilómetros da então fronteira com a Polónia.
A operação nazista foi articulada para justificar a invasão na Polónia…
Em 22 de Agosto de 1939, Adolf Hitler chamou os seus generais e avisou que iria arranjar algo que legitimasse uma ação bélica contra a Polónia:

“Eu vou arranjar um caso bélico propagandista. A sua credibilidade não importa. O vencedor não será questionado se disse a verdade.”

E então foi que lançaram o plano que teve o nome do seu criador Heinrich Himmler e que foi incialmente supervisionado por Heinrich Müller e na sequência por Reinhard Heydrich. O objectivo era o de criar a ideia de uma agressão polaca contra a Alemanha, que seria depois usada para justificar a invasão da Polónia. Existia também outra intenção de Adolf Hitler, que era a de que tal operação confundisse os aliados dos polacos (Reino Unido e França) e atrasasse a respectiva declaração de guerra à Alemanha.
Alguns meses antes desse fato e da invasão da Polónia por parte da Alemanha, vários jornais alemães e outros políticos como Adolf Hitler já tinham dado início a uma campanha nacional e internacional acusando as autoridades polacas de organizarem ou tolerarem violentas limpezas étnicas de alemães residentes na Polónia.

Vamos ao assalto à estação de rádio de Gleitwitz (atualmente Gliwice na Polónia), por volta das 20 horas da noite de 31 de Agosto de 1939 onde um pequeno grupo de seis agentes alemães das SS, vestidos com uniformes polacos e liderado por Alfred Naujocks, atacou a estação de Gleiwitz e transmitiu uma curta mensagem anti-alemã em polaco:

“Uwage! Tu Gliwice. Rozglosnia znajduje sie w rekach Polskich.”
(Atenção! Daqui Gliwice. A emissora está nas mãos de polacos.)

Num dos carros estava Franciszek Honiok, um camponês católico e solteiro de 43 anos de idade. Tinha sido escolhido para a farsa, por causa do seu envolvimento numa série de revoltas locais contra o domínio alemão na Silésia (região fronteiriça que abrange hoje em dia Polónia, Alemanha e República Checa).
Franciszek Honiok tinha sido preso e morto pelas SS na vila de Polomia no dia anterior, foi levado como pessoa que iria ser a prova da agressão polaca contra a Alemanha. Juntamente com tal prisioneiro, os agentes SS também deixaram para trás outros fardados com uniformes polacos, e que haviam sido levados do campo de concentração de Dachau para tal ataque, foram mortos com injecção letal e posteriormente alvejados.

Em um ato cuidadosamente coordenado e praticamente em simultaneidade, todas as estações de rádio alemãs transmitiram a mensagem dos “invasores”. Foi também referido que corpos de soldados polacos mortos no incidente tinham sido deixados no local.
Em Londes, a BBC difundiu a declaração:

“Houve relatos de um ataque a uma estação de rádio em Gliwice, que fica do outro lado da fronteira polaca, na Alemanha.
A agência de notícias alemã relata o ataque ocorreu por volta das oito horas desta noite, quando os polacos abriram caminho para o estúdio e começaram a transmitir uma declaração em polaco. Num espaço de uns quinze minutos, segundo os relatos, os polacos foram dominados pela polícia alemã que abriu fogo contra eles. Vários polacos foram mortos, mas os números ainda não são conhecidos.”

Às 10 horas da manhã do dia seguinte, num discurso na Kroll Opera (onde o parlamento se reunia desde o incêndio que destruira o Reichstag em 1933), Adolf Hitler referiu os incidentes fronteiriços como um dos motivos que justificavam a ação defensiva alemã contra a Polónia:

“Eu não consigo encontrar qualquer vontade por parte do governo polaco para realizar negociações sérias conosco. Estas propostas de mediação falharam porque entretanto veio, em primeiro lugar, como resposta a súbita e geral mobilização polaca, seguida por mais atrocidades polacas. Estas foram novamente repetidas ontem à noite. Recentemente, numa noite, houve cerca de 21 incidentes fronteiriços: na noite passada houve 14, dos quais três foram bastante graves. Resolvi, por isso, falar para a Polónia na mesma linguagem que a Polónia tem vindo a usar contra nós nos meses passados…
Esta noite, pela primeira vez, soldados polacos dispararam no nosso próprio território. Desde 5:45 que estamos respondendo com artilharia… Eu vou continuar esta luta, não importa contra quem, até que a segurança do Reich e seus direitos  estejam garantidos.”

Dava-se então inicio à segunda Grande guerra!

*Conteúdo extraído de informações locais e pesquisas.

image

image

Abaixo fotos dos encontros de Hitler com seus oficiais

image

image

Himmler, o mentor da operação que levou o seu nome.

image

2 Replies

  • joão
    Responder

    Lembrei-me dos tempos de estudo na Escola de Comando e Estado Maior do Exército.Fizemos detalhamento de tudo sobre as duas guerras,porém ,esta parte específica eu não sabia.Obrigado Mey por este importante relato.Bjs.João

    • Arilmey
      Responder

      Fiquei muito feliz por acrescentar um conhecimento a mais João. É bastante emocionante estar no local e imaginar todo o acontecimento. Coloque na sua agenda na próxima vinda à Europa. A Polônia vale muito a pena. Beijos e obrigada por seu comentário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *